ETFs alavancados: um trampolim para ganhos maiores - e também para possíveis perdas

Entenda como funcionam os ETFs alavancados - fundos que potencializam a exposição do investidor a determinado índice.

Você sabe o que é uma alavanca, né? É um objeto usado para multiplicar a força aplicada a um objeto. Um pequeno esforço pode, com uma alavanca, mover objetos pesados ou lançá-los bem longe.

Neste artigo, vamos falar de um tipo de investimento que usa esse mecanismo: os ETFs alavancados.

O que são os ETFs alavancados?

Os ETFs são fundos negociados em bolsa que permitem a exposição do investidor a um determinado índice de mercado.

Agora, quando o ETF é alavancado, ele aumenta essa exposição – ampliando tanto os retornos, quanto as perdas. A extensão do ganho - ou da perda - depende do valor da alavancagem.

Vamos pegar como exemplo um ETF que segue o maior índice de ações dos EUA, o S&P 500. Se o S&P 500 sobe 5%, o ETF tradicional também dá um retorno de 5% – ou bem próximo disso. Se o índice cai 5%, o ETF também recua 5%.

Agora, se o ETF tem alavancagem 2X, a história é diferente. Quando o S&P sobe 5%, o ETF tem uma valorização de 10%. Que beleza, hein? Mas, cuidado, porque o inverso também vale: se o índice recua 5%, a cota do ETF cai 10%.

Ou seja: a alavancagem aumenta a exposição do investidor ao índice de referência, podendo levar tanto a ganhos, quanto a perdas expressivas.

ETFs alavancados e ETFs inversos

Ao mesmo tempo, a alavancagem também pode ser usada nos chamados ETFs inversos – sobre os quais já falamos aqui na Sproutfi.

Voltando ao mesmo exemplo: se o S&P 500 cai 10% e o ETF inverso atrelado ao índice tem alavancagem 2X, o investidor terá́ um retorno de 20%. Já se o índice subir 10%, a perda do investidor será de 20%.

Como funcionam os ETFs alavancados?

Mas, você pode estar se perguntando: como os ETFs conseguem aumentar essa exposição aos índices? A gente explica.

Os ETF alavancados usam os chamados derivativos – falamos sobre isso em outro artigo.

A principal estratégia de derivativos para esse “trampolim” nos retornos são os contratos de opções. Eles oferecem ao investidor o direito de compra e o direito de venda dos ativos durante um determinado período de tempo – em vez da obrigação de comprar ou vender.

São operações complexas, mas não se preocupe em entendê-las agora. O que você precisa saber é que elas funcionam como uma espécie de proteção – e que possibilitam essa exposição maior ao índice de referência.

Vantagens e riscos de ETFs alavancados

Como você viu acima, a alavancagem é uma via de mão dupla, porque pode turbinar tanto os lucros, como os prejuízos do investidor. O risco de perdas com ETFs alavancados é muito maior do que nos ETFs tradicionais. Por isso, o investidor deve avaliar essa relação risco x retorno com muita cautela.

Outro ponto que o investidor deve considerar, além do risco, é o custo. Por serem operações mais complexas e custosas, as taxas dos ETFs alavancadas são mais caras do que dos ETFs tradicionais. A taxa de administração média atual dessa modalidade é de 1,01% ao ano.

Além disso, os ETFs alavancados não são indicados como investimentos de longo prazo. Isso por causa da estrutura de alto risco e alto custo. Normalmente, são fundos usados para tirar proveito de um movimento de curto prazo.

Hoje, há no mercado americano 133 ETFs alavancados, com US$ 70,2 bilhões segundo a plataforma ETF.com. Vamos ver alguns deles:

ProShares UltraPro QQQ ($TQQQ)

Esse ETF oferece exposição 3X ao famoso índice Nasdaq 100, com as 100 maiores empresas não financeiras listadas na bolsa Nasdaq.

Se o índice sobe 10%, o investidor ganha 30%. Em caso de perdas, é a mesma proporção.

O ETF tem US$ 20,35 bilhões sob gestão, o maior da categoria. E taxa de administração de 0,95% ao ano.

ProShares UltraPro Short QQQ ($SQQQ)

Esse é um exemplo de ETF alavancado e inverso.

A alavancagem é de 3X sobre o índice Nasdaq 100. Se o índice cai 10%, o investidor ganha 30% – e vice-versa.

O ETF US$ 2,7 bilhões sob gestão. Taxa de administração de  0,95% ao ano.

Direxion Daily Semiconductor Bull 3X Shares ($SOXL)

Esse ETF tem alavancagem 3X sobre um índice com 30 empresas de semicondutores listadas nos Estados Unidos.

O ETF tem US$ 6,3 bilhões sob gestão. A taxa de administração é de 0,96% ao ano.

-

Disclaimer: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.