Investir nos EUA: veja o que mais negociar nas bolsas de valores, além de ações

Conheça a Nasdaq e duas bolsas que negociam contratos futuros, como moedas e commodities.

Quando se fala em Bolsa de Valores, o mais comum é relacionar com o investimento em ações. Mas você vai ver aqui que esse é um universo muito mais amplo.

Além de “fatias” de empresas - como Apple, Meta, Alphabet, Amazon, Tesla e outras milhares - as bolsas operam a compra e venda de contratos de soja, de petróleo, de dólar e até de taxa de juros. É o chamado mercado futuro.

Abaixo, traçamos uma comparação entre a B3, que é a bolsa brasileira, com uma das principais bolsas americanas – a Nasdaq.

Além disso, trazemos duas bolsas que negociam contratos futuros para você conhecer. São alternativas para investir nos Estados Unidos - seja comprando ações dessas bolsas, seja investindo em ETFs que replicam os principais índices dessas bolsas.

B3 ($B3SA3)

A B3 é atualmente a única bolsa brasileira em operação. Resultou da fusão da Bolsa de Valores de São Paulo com a Cetip.

Hoje, tem 396 empresas listadas e um valor de mercado de cerca de R$ 4,6 trilhões, segundo a própria B3.

Como boa parte das bolsas, a B3 tem capital aberto, ou seja, colocou ações dela mesma à venda no mercado. No ano, as ações da B3 acumulam alta de quase 30%.

O principal índice da B3, que funciona como um termômetro da bolsa, é o Ibovespa. A bolsa brasileira também negocia derivativos e contratos futuros (leia mais abaixo).

Nasdaq ($NDAQ)

Nasdaq é a sigla para National Association of Securities Dealers Automated Quotations. É a segunda maior bolsa de valores dos Estados Unidos – e do mundo –, atrás apenas da Nyse, a Bolsa de Nova York.  

O valor de mercado da Nasdaq é gigantesco quando comparado com a B3: US$ 22 trilhões, segundo a Statista, com dados de janeiro de 2022.

Fundada em 1971, ela foi pioneira no mercado eletrônico de ações no mundo – e ajudou a modernizar o processo de IPO.

Veja 5 IPOs esperados para 2022.

Investir nos Estados Unidos por meio da Nasdaq

A Nasdaq é conhecida por concentrar as empresas de tecnologia, como Apple, Microsoft, Tesla, Google e Meta. E também lista mais empresas de pequeno e médio porte, em comparação com a Nyse, cuja maioria das listagens é de companhias consolidadas.

No ano, a Nasdaq apresenta queda de 16,7%. Isso porque o cenário de expectativa de alta de juros nos Estados Unidos favorece investimentos mais estáveis e conservadores, em detrimento de empresas chamadas de crescimento, como as de tecnologia. Entenda melhor esse comportamento do mercado aqui neste outro artigo.

Além de comprar ações da própria Nasdaq, outra forma de investir nos Estados Unidos por meio da Nasdaq é recorrer a ETFs que replicam índices dessa bolsa.

Os principais índices da Nasdaq, que funcionam como um termômetro da bolsa, são o Nasdaq Composite e o Nasdaq 100.

CME Group ($CME)

Conhecida pelos americanos como The Merc, CME (Chicago Mercantile Exchange) é a Bolsa de Chicago. Ela é referência global no mercado agrícola e na formação de preços de outras commodities – que, aliás, estão com os preços nas alturas, como a gente mostrou pra você neste artigo sobre ETFs de commodities.

A história começa no século 19, com a criação da Chicago Board of Trade (CBOT), para organizar o mercado de grãos. Cinquenta anos depois, surgiu a CME. Em 2017, as duas se fundem, formando o CME Group – que depois incorporou outras bolsas de commodities.

Na Bolsa de Chicago, são negociados contratos futuros, que são derivativos (calma, não se assuste!). A lógica é bem parecida com o mercado comum de ações, já que o contrato também oscila de acordo com a oferta e a demanda por aquele produto.

Assim, compradores e vendedores negociam preços e condições pelos quais um produto vai ser comercializado no futuro. Com esse tipo de contrato, um produtor agrícola pode, por exemplo, garantir o preço de venda de uma safra que está plantando agora, mas só vai ser colhida mais para frente.

Esse tipo de operação também está à disposição de quem não detém o produto fisicamente, mas quer apostar na alta ou baixa de determinada mercadoria ou ativo. Em resumo: é um instrumento para proteção e especulação de preços.

Além de commodities, também são negociados contratos futuros de moedas, como o dólar, de índices, e também taxas de juros.

A CME foi uma das primeiras bolsas de valores a se tornar uma empresa de capital aberto, em 2002. Sendo uma empresa de capital aberto, ela tem ações negociadas em bolsa – no caso, na Nasdaq. Em 2022, acumula alta de 2,30%.

ICE ($ICE)

A Intercontinental Exchange também é uma bolsa de mercados futuros que opera nos Estados Unidos, na Europa e em Cingapura.

Quando foi fundada, em 2000, o foco principal era o setor de energia. Mas, ao longo do tempo, a empresa foi fazendo várias aquisições e hoje também opera commodities, moedas, índices, entre outros ativos.

No final de 2012, a ICE comprou a Bolsa de Nova York, Nyse, por US$ 8,2 bilhões. No ano, a ICE acumula perda de quase 4%.

-

Disclaim: lembre-se de que as informações fornecidas aqui são para fins educacionais e não devem ser consideradas como aconselhamento jurídico, tributário ou de investimento. Consulte um advogado ou um profissional da área sobre a sua situação específica.