Conheça 4 ETFs S&P 500

Saiba mais sobre investir em ETFs que refletem o S&P 500 - o principal índice de ações dos EUA, que subiu 27% em 2021

Publicado em 7.1.2022 • Atualizado em 9.5.2022

Os ETFs têm sido cada vez mais buscados pelos investidores que querem comprar ações.

Um dos principais motivos é a diversificação da carteira que esse tipo de ativo oferece, além de taxas de administração mais baixas (veja mais abaixo).

Reportagem do Financial Times (FT) sobre os ETFs lançados em 2021 no mercado americano aponta uma aceleração no "apetite dos investidores por estratégias de escolha de ações e títulos em um invólucro de ETF".

E os números comprovam isso, como pontua o FT, com dados da Morningstar Direct: "os US$ 84,1 bilhões que os investidores colocaram em ETFs ativos em 2021 até novembro são quase 50% a mais do que as vendas recordes do ano passado, de US$ 57,4 bilhões."

Além disso, o gráfico abaixo do Statista reflete um crescimento consistente no número de ETFs ao longo dos anos. Em 2003, eram apenas 123 ETFs nos Estados Unidos. Em 2021, o número passou dos 2,6 mil.

Número de fundos negociados em bolsa (ETFs) nos Estados Unidos de 2003 a 2021. Fonte: Statista
  • No Brasil, o mercado de ETFs ainda é incipiente, foi regulamentado em 2002. E o número de ETFs disponíveis aqui não chega a 200, como informa o site desenvolvido pela B3 dedicado a ETF.

ETFs S&P 500

Dentre os ETFs mais “famosos”, estão os que replicam o S&P 500 - aos quais o mercado se refere como “ETF S&P 500”. Inclusive, dois deles são os maiores do mundo.

Neste artigo, você vai conhecer os maiores ETFs S&P 500, de acordo com AUM - Assets Under Management, que significa "ativos sob gestão" (em termos simples, é o volume de dinheiro investido em cada produto; ou seja, nesse caso, é quanto dinheiro cada ETF atraiu dos investidores).

Mas antes da lista, vamos explicar alguns conceitos, caso você ainda não esteja por dentro:

O que é S&P 500

O S&P 500 é o principal índice de ações dos Estados Unidos. É a sigla para Standard & Poor’s 500.

Esse índice de mercado reúne as 500 ações mais negociadas e mais qualificadas nas bolsas NYSE e Nasdaq.

As ações com maior participação no índice são da Apple ($APPL), Microsoft ($MSFT), Amazon ($AMZN), Alphabet ($GOOGL) e Tesla ($TSLA).

O que são ETFs

ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos que replicam índices de mercado. Ou seja, cada ETF consiste em uma “carteira teórica” com todas as ações que compõem o índice que esse ETF replica.

Por isso, ao investir em um ETF indexado pelo S&P 500, por exemplo, você está comprando exatamente as ações que formam o S&P 500, e na mesma proporção.

Manualmente, fazer essa diversificação na sua carteira é muito complexo. Afinal, imagine ter que pesquisar e comprar 500 ações, e rebalancear a carteira periodicamente, na proporção do índice S&P - que varia por diversos fatores econômicos e de mercado. Realmente, é trabalho para empresas dedicadas a isso - são empresas do mercado de investimentos que emitem os ETFs.

Portanto, ao adquirir um ETF, você tem essa carteira teórica com as ações que você quer na sua carteira, mas de um jeito (bem) mais prático do que comprar cada ação.

A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, destaca 3 maiores benefícios dos ETFs:

  1. Diversificação: "Ao incorporar ETFs em uma estratégia de investimento, os investidores podem se beneficiar da diversificação instantânea. Os ETFs oferecem maior diversidade do que simplesmente comprar ações individuais, porque agrupam ativos diferentes, de acordo com a constituição do índice."
  2. Redução de custos: "As taxas de administração para a maioria dos ETFs tendem a ser mais baixas do que os fundos mútuos, o que significa que mais dinheiro pode ser investido em um retorno potencial."
  3. Maior acesso à diversificação internacional: Muitos investidores ficam presos a investimentos locais, superexpondo-se à volatilidade do mercado local. Os ETFs permitem aos investidores e profissionais financeiros ir além do básico e ter acesso a exposições direcionadas a diferentes mercados e ativos. Variando de países específicos a uma classe de ativos como títulos globais, e até commodities, como o ouro.”

O que significa investir em ETFs S&P 500

Quando você investe em um ETF que replica o S&P 500, significa que o retorno do seu ativo (o ETF, nesse caso) varia conforme o índice S&P 500 sobe ou desce.

Em 2021, os investidores que tinham na sua carteira algum ativo atrelado ao S&P 500 tiveram motivos pra comemorar. Isso porque o desempenho das bolsas americanas foi bastante positivo. O S&P 500 - que, como falamos acima, é o principal índice de ações dos EUA - subiu 27%. E mais: bateu 70 recordes ao longo do ano.

Enquanto isso a B3 - a bolsa brasileira - amargou um tombo de quase 12% no ano passado. Foi a primeira queda desde 2015.

Nesse sentido, investir em ETFs indexados pelo S&P 500 pode ser um jeito fácil e acessível de pegar carona no desempenho das bolsas americanas, sem ficar escolhendo ações a dedo ou sem precisar ter muito dinheiro - em função das taxas de administração mais baixas e também da possibilidade de comprar ações fracionadas.

Um ponto de atenção: quando o investidor brasileiro compra um ETF que acompanha o S&P 500, ele vai ter não só o retorno de acordo com a performance desse índice.

Também entra no jogo a cotação do dólar – o que pode ajudar ou prejudicar a rentabilidade.

Em 2021, por exemplo, foi positivo: o dólar teve valorização de mais de 7%. Então, o investidor brasileiro que apostou no S&P 500 obteve uma rentabilidade maior que a do índice em si.

Mas o dólar pode se desvalorizar. Ou o S&P pode ficar abaixo do Ibovespa.

Por isso, vale reforçar que rentabilidade passada não garante rentabilidade futura. Além disso, é preciso pesquisar e analisar cada produto com cuidado e atenção antes de investir.

4 ETFs que refletem o S&P 500

Vamos ver agora os principais ETFs S&P 500 – e que estão disponíveis na plataforma de investimentos Sproutfi.

Em termos de rentabilidade, ficam todos muito próximos, coladinhos com o S&P 500.

Mas há algumas diferenças entre eles. Confira os detalhes de cada um (os números foram atualizados no dia 6 de maio de 2022, com dados da plataforma ETF.com):

$SPY

É o ETF mais antigo e tradicional da lista: foi lançado em 1993. O fundo, negociado na bolsa de Nova York, é da State Street Global Advisors.

Paga dividendos periódicos e tem US$ 371,53 bilhões sob gestão. A taxa de administração é de 0,09% ao ano.

$IVV

O IVV é o ETF da BlackRock. Ele também paga dividendos periódicos e tem US$ 304,35 bilhões sob gestão. A taxa de administração é de 0,03% ao ano.

$VOO

O VOO é o ETF da Vanguard. Um dos diferenciais dele é que o fundo reinveste os dividendos automaticamente. Tem US$ 257,47 bilhões sob gestão e oferece a menor taxa de administração: 0,03% ao ano.

$SPLG

O SPLG também é um ETF da State Street Global Advisors. Tem US$ 13,8 bilhões sob gestão e também cobra taxa de 0,03% ao ano.

-

Disclaimer: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.