Impressão 3D: os principais avanços do mercado e as empresas que se destacam no mundo

Imprimir órgãos, próteses personalizadas, móveis, casas inteiras, maquiagem, robôs, hambúrguer… a lista do que já é possível criar com uma impressora 3D é grande. E só aumenta. Assim como os resultados das empresas do setor. Conheça algumas das principais em nível global.

Destaques que você vai ver neste artigo:
  • Os avanços em impressão 3D na medicina, na construção civil e na indústria de alimentos.
  • O valor, em bilhões de dólares, do mercado de impressão 3D hoje, e as perspectivas.
  • As 5 empresas de maior destaque em impressão 3D no mundo.
  • ETF de impressão 3D.

Quantos soquinhos seus ela já levou? Se você nem sabe do que a gente tá falando, deixa pra lá. O negócio agora é impressora 3D mesmo. Foto: Mufid Majnun/Unsplash

A primeira impressora 3D surgiu em 1984, nos Estados Unidos. Nasceu muito antes de boa parte dos usuários da comunidade SproutFi. Ou é contemporânea de tantos outros investidores que estão na plataforma.

Caiu no conhecimento popular com pequenos objetos sendo impressos em eventos, e em pecinhas simples usadas em diferentes indústrias. Enquanto isso, pesquisadores baixavam a cabeça e aprimoravam todo o potencial das impressoras, dos moldes e das aplicações. E revolucionaram diversos setores. E prometem mais.

Durante a pandemia de Covid-19, o Plano de Resposta Rápida da FDA, a Anvisa dos Estados Unidos, incluiu equipamentos médicos e de proteção pessoal feitos com impressoras 3D.

Tem projetos que às vezes parecem esquisitos, como mostrou a HP, uma das líderes mundiais em impressoras "normais" - que acompanhou a evolução e também é destaque no mercado mundial de impressoras 3D (veja mais abaixo). Tem outras impressões que, aparentemente, não têm um motivo nobre, como a de carros microscópicos. Ou da menor furadeira do mundo (que funciona!) Mas tudo faz parte e contribui com o avanço dessa tecnologia.

Um dos destaques da impressão 3D é que ela é calcada em inovação aberta. Ou seja, uma cultura colaborativa em que projetos são criados por qualquer pessoa e compartilhados sem a cobrança de royalties ou exclusividade de patentes.

Além disso, é uma tecnologia fácil de ser usada, de uma forma geral. Não exige um conhecimento aprofundado em design ou engenharia para criar protótipos. E menos ainda pra impressão em si: é só clicar um botão.

Mas o que tem de novidade nisso tudo?

O que você está lendo aqui não é novo, claro. O que mudou foi que, como aponta a Statista - empresa alemã que faz análises e previsões de mercado e consumo - esse mercado "recentemente, chamou a atenção dos investidores. Embora a tecnologia já exista há alguns anos, ela experimentou um crescimento excepcional como indústria nos últimos anos, devido às suas aplicações ilimitadas em manufatura comercial e projetos de grande escala”. A gente traz alguns exemplos abaixo.

Impressão 3D de órgãos e tecidos humanos

Está cada vez mais avançada a tecnologia de imprimir tecidos humanos, como tecido pulmonar, ossos, pele e cartilagem. E órgãos como, fígado, coração, e rim, que já foram impressos em miniaturas semi-funcionais, o que ocorre há mais de década.

Em 2011, um Ted Talks com um dos pesquisadores mais conceituados do mundo nessa área, Anthony Atala, apresentou ao mundo um rim impresso. Isso mesmo, um rim "feito" em uma impressora 3D.

Mas o trabalho de Atala vem de muito antes. O médico focou sua carreira no desenvolvimento de órgãos em laboratório para resolver o problema da lista de espera por transplantes. E já em 1999, realizou um transplante de bexiga de laboratório, que deu certo.

A impressão 3D está entre os três maiores avanços apontados por Atala na sua área de atuação, nas últimas duas décadas, que permitiu maior precisão nos órgãos artificiais.

"Há mais de 40 diferentes tipos de órgãos e tecidos que estão sendo desenvolvidos em laboratório. Nessa área, provavelmente não há nenhum órgão do corpo que alguém não tenha tentado fazer crescer em laboratório”, conta Atala. E as perspectivas de avanço são otimistas. "A impressão 3D permite que a nutrição seja levada para a parte central da estrutura que está sendo criada, e isso levará a mais avanços no desenvolvimento de órgãos sólidos”, projeta o especialista.

Impressão 3D de casas

A indústria da construção civil deve ser uma das mais transformadas pela tecnologia de impressão 3D com cimento. Já tem muita "casa impressa”.

E o Brasil não fica pra trás. Em 2020, a gente teve aqui a primeira casa toda construída com uma impressora em 48 horas. O trabalho é da startup InovaHouse3D, fundada em 2015 por estudantes de engenharia de Brasília.

Mas a tecnologia só imprime as paredes. Por enquanto.

Impressão 3D de comida

De massa, a quiche e carne. Impressoras 3D já fazem um cardápio completo.

A MeaTech ($MITC) é uma das empresas mais conhecidas no mundo pela inovação que traz com a impressão de bifes e outros cortes de carne, feitas com células de animais como bois e galinhas.

O mercado global de impressão 3D

Acima, resumimos só um pouco da gama imensa de aplicações da impressão 3D. Os números totais são impress…ionantes (piada ruim).

Os dados a seguir são do Departamento de Pesquisa da Statista, divulgados em 08/out/2021.

O mercado mundial de produtos e serviços de impressão 3D foi avaliado em US$ 12,6 bilhões, em 2020. E é uma indústria com alto potencial para os próximos anos: a taxa anual de crescimento promete ser de 17% até 2023. Em 2026, o valor do mercado deve chegar a US$ 37,2 bilhões. E esses são os números da análise mais tímida.

Outro relatório considerado pela Statista aponta que o mercado vai chegar a US$ 62,79 bilhões, com crescimento anual de 21% até 2028.

Quando o recorte é feito por materiais, o crescimento mais rápido deve ser na indústria de metais e ligas metálicas.

Como pontua o Statista, "a tecnologia de impressão 3D de metal é relativamente nova, mas muitos avanços importantes acontecem todos os anos. Metais para impressão são geralmente mais caros, como cobre, por exemplo; os metais usam materiais mais pesados ​​e preciosos. Essa aplicação é geralmente um processo mais lento e o próprio maquinário é mais caro. À medida que mais empresas começam a ter suas próprias impressoras, o software de impressão vai crescer mais rápido do que os serviços de impressão”.

O maior número de patentes de impressão 3D nos Estados Unidos é da General Electric ($GE), gigante global que atua nos setores de energia, gás, aviação, saúde, soluções digitais e, sim, outros mais.

Mas nem por isso ela está entre as principais empresas do setor em relação a valor de mercado atrelado à impressão 3D. Veja abaixo quais são as 5 empresas de impressão 3D mais relevantes atualmente para os investimentos, segundo o Insider Monkey.

As 5 melhores ações no mercado de impressão 3D

O portal Insider Monkey, que faz levantamentos com base em informações relevantes de investidores e fundos de hedge, apontou as ações de empresas mais promissoras nesse mercado. Resumimos aqui pra você (análise divulgada em 14/out/2021):

1) Autodesk, Inc. ($ADSK)

Empresa da Califórnia (EUA) que comercializa software e serviços de design 3D, entretenimento e engenharia.

No segundo trimestre fiscal de 2022 - que, nos Estados Unidos, corresponde ao período de maio a julho de 2021 -, a Autodesk teve receita de US$ 1,06 bilhão, aumento de 16,06% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. E bem acima das previsões, que eram de US$ 5,35 milhões.

2) Raytheon Technologies Corporation ($RTX)

Empresa aeroespacial e de defesa, que fica em Massachusetts (EUA). Em 2020, lançou o primeiro míssil impresso em 3D.

A capitalização de mercado da Raytheon é de $ 134,58 bilhões. No segundo trimestre de 2021, a receita foi de US$ 15,88 bilhões, muito além das expectativas de mercado, que eram de US$ 46,81 milhões.

3) ANSYS, Inc. ($ANSS)

Empresa de software da Pensilvânia (EUA), que trabalha com engenharia multifísica - fenômenos físicos acoplados em simulações computacionais. Faz softwares para projetos de impressão 3D de metal que reduzem o tempo de produção.

No segundo trimestre de 2021, a Ansys superou a previsão de receita, que era de US$ 19,21 milhões, e atingiu US$ 452,55 milhões.

4) HP Inc. ($HPQ)

A famosa Hewlett-Packard Company é uma multinacional de tecnologia que provavelmente está ou já passou pela sua casa, através de algum computador, impressora ou outros eletrônicos. Em 2016, a HP entrou para o mercado de impressão 3D e lançou vários sistemas de impressão de polímero. E agora já está trabalhando com impressão de metal, com a tecnologia Metal Jet.

No terceiro trimestre fiscal de 2021, teve receita de US$ 15,29 bilhões, aumento de 6,96% na comparação com o ano anterior, mas US$ 626,38 milhões abaixo das previsões.

5) Desktop Metal, Inc. ($DM)

Empresa pública de tecnologia dos Estados Unidos que projeta sistemas de impressão 3D para engenheiros, designers e fabricantes em todo o mundo.

No segundo trimestre de 2021, reportou receita de US$ 18,98 milhões.

ETF de impressão 3D

Assim como impressão 3D, existe ETF "de tudo”, né? Trocadilhos à parte, a informação relevante é que há um ETF só de ações de empresas do mercado de impressão 3D.

O ETF 3D Printing ($PRNT) reúne cerca de 50 empresas que atuam no setor, tanto fabricantes de hardware - as impressoras em si ou equipamentos para a construção delas -, quanto desenvolvedores dos softwares que fazem protótipos e modelagens para impressões 3D, e a operação das impressoras. Dentre as 15 maiores empresas listadas no ETF de impressão 3D, estão HP ($HPQ) e Microsoft ($MSFT).

Mas esse é um assunto para ETFriday, a sexta-feira da SproutFi, que toda semana é recheada de conteúdos sobre ETF, pra você aprender mais sobre esse tipo de investimento e ficar por dentro dos ETFs que se destacam no mercado.

-

DISCLAIM: Importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.