ETFs podem pagar dividendos?

No mercado americano, sim! Conheça 5 fundos de índice com os maiores dividend yields.

Ações pagam dividendos, REITs - os “fundos imobiliários” americanos - pagam dividendos… mas, e ETF? Esse tipo de fundo, que é negociado em Bolsa assim como ações de empresas, também pode pagar proventos ao investidor?

Aqui no Brasil, não. Não há hoje no mercado brasileiro a negociação de ETFs dessa modalidade – embora a B3 já tenha demonstrado interesse em lançar no mercado num futuro próximo. Mas, nos Estados Unidos, os ETFs pagam dividendos, sim!

Existem dezenas de ETFs americanos que pagam dividendos aos cotistas. Esses ETFs costumam seguir índices com empresas consideradas boas pagadoras de proventos.

Antes de falar sobre os ETFs que pagam dividendos, vamos a algumas explicações simples pra você ficar mais por dentro.

O que são dividendos?

O pagamento de dividendos é uma espécie de divisão de lucros da empresa. Na prática, é uma forma de recompensar quem comprou as ações da companhia. A gente explicou tudo sobre dividendos em outro artigo aqui, vale conferir.

O que são ETFs? 

ETFs são fundos que acompanham o desempenho de um índice de mercado, como por exemplo o S&P 500, maior índice da bolsa americana. São apontados pelos especialistas como uma ótima forma de diversificação da carteira, pois permitem exposição a vários ativos diferentes e a valores acessíveis.

ETFs de dividendos

Os ETFs de dividendos unem essas duas coisas: o investidor, além de ganhar com a valorização do índice de referência (caso ele se valorize, claro), também pode receber proventos periodicamente, a depender de cada ETF.

O que procurar num ETF de dividendos?

É importante que o investidor avalie não só os dividendos distribuídos pelo fundo, mas também a performance geral do fundo. Além disso, também deve ser levada em conta a taxa de administração e, principalmente, o nível de risco do ETF.  

Como a gente sempre lembra: rentabilidade passada não garante rentabilidade futura! O investidor deve tomar esses retornos como base para uma análise mais profunda – que leve em conta o fator de risco adequado ao seu perfil.

TOP 5 ETFs de dividendos por dividend yield

Uma das maneiras de avaliar um ETF que paga dividendos é por dividend yield – que revela quanto uma empresa paga em dividendos aos acionistas em relação ao preço das ações. Esse é um item importante na hora de avaliar esses ETFs – mas não o único, como mencionamos acima.

Abaixo, listamos os 5 ETFs com os maiores dividend yields até fevereiro de 2022, no acumulado em 12 meses. O levantamento é da plataforma US News.

ETF Global X NASDAQ 100 Covered Call ($QYLD)

Dividend Yield: 11,6%

ETF que acompanha os retornos do índice Cboe Nasdaq-100 BuyWrite (BXN). Tem US$ 5,5 milhões sob gestão.

Global X MLP ETF ($MLPA)

Dividend Yield: 7,9% 

Esse ETF segue o índice Solactive MLP Infrastructure, com empresas do setor de energia que operam dutos e instalações de armazenamento. A taxa de administração é de 0,46% ao ano.

ETF Vanguard Global ex-US Real Estate Index Fd ($VNQI)

Dividend Yield: 6,7%

Esse ETF acompanha o índice S&P Global ex-U.S. Property Index, com imóveis em mais de 30 países. A taxa de administração é de 0,12% ao ano.

ETF WisdomTree Emerging Markets High Dividend ($DEM)

Dividend Yield: 5,7%

Esse ETF segue o índice WisdomTree Emerging Markets High-Yielding Equity, com ações de empresas que pagam dividendos de 17 mercados emergentes diferentes, como Brasil, Chile, China, República Tcheca, Hungria, Índia, Indonésia, Coréia e Malásia.

ETF iShares Edge MSCI Multifactor International ETF ($INTF)

Dividend Yield: 5,6%

ETF que segue o índice MSCI World ex USA Index, com ações de 22 mercados desenvolvidos fora dos EUA. A taxa de administração é de 0,3% ao ano.

-

Disclaim: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.