Conheça o primeiro ETF de meme stocks

Conheça o ETF Roundhill MEME, que estreou há pouco mais de um mês na Bolsa de Nova York. Ele acompanha o desempenho das ações que viralizam na internet.

De início, e de longe, o mercado financeiro pode, parecer muito formal, “careta”. Mas, ao mergulhar nele, você logo percebe que, na verdade, ele acompanha não só a economia, mas também captura e reflete movimentos sociais e comportamentais contemporâneos.

Nesse sentido, recentemente, o mercado financeiro incorporou os memes - Afinal, os virais da internet são uma marca do nosso tempo, né? Mas o que memes têm a ver com investimentos? A gente explica.

O que são meme stocks

Pra quem ainda não está por dentro do assunto, pode parecer uma conexão esquisita. Mas ações listadas nas bolsas de valores viralizam na internet, assim como as piadas, os famosos memes. E passam a ser chamadas de meme stocks.

Um meme é uma piada virtual que viraliza, ao ser compartilhada por milhões de usuários, em várias redes sociais - e chega até a sua conversa privada no WhatsApp, né?

Ou seja, meme stocks, ou "ações meme", numa tradução livre, são ações de empresas que viralizam em conversas de redes sociais, como Twitter e Reddit, por diversos motivos. E isso impacta fortemente no mercado financeiro.

Dentre as razões que fazem uma ação viralizar está o fato de a empresa ser menos conhecida ou pouco atraente no mercado de ações. Ou de estar indo à falência.

Aí, usuários que simpatizam com a marca fazem um movimento orquestrado e conseguem colocar a ação nos trending topics, os assuntos do momento na internet.

O objetivo é criar um efeito manada, aumentando a busca pela ação. Isso, consequentemente, faz com que o preço dela suba.

Então, resumindo: ao viralizar como assunto na internet, a ação começa a ser mais procurada na bolsa de valores, e o preço aumenta exponencialmente, sem qualquer mudança de fundamento que justifique essa alta. Assim se cria uma meme stock.

Por isso, investir em meme stocks exige muito cuidado. Inclusive, o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, já alertou sobre os riscos das meme stocks e de investimentos com base em informações de redes sociais em que os usuários postam no anonimato, como é o caso do Reddit.

O ETF Roundhill ($MEME)

O ETF MEME, da gestora Roundhill Investments, é o primeiro com o propósito específico de acompanhar o desempenho de meme stocks.

Ele estreou na bolsa de Nova York (NYSE) há pouco mais de um mês e replica o Índice Solactive Roundhill Meme Stock, formado por 25 ações cotadas nos Estados Unidos, amplamente populares nas redes sociais e de curto interesse –  ou seja, também se leva em conta a quantidade de ações vendidas a descoberto (entenda melhor aqui).

Como a internet – e, consequentemente, as meme stocks – é  muito dinâmica, o índice é rebalanceado a cada duas semanas e a seleção das ações é feita na segunda sexta-feira de cada mês.

No momento, as cinco principais ações que compõem o índice são:

  • Digital World Acquisition Corp ($DWAC): SPAC que fez um acordo de fusão com a Trump Media & Technology, de Donald Trump
  • Carnival Corporation ($CCL): empresa de cruzeiros
  • Lucid Group ($LCID): empresa de veículos elétricos  
  • American Airlines ($AAL): companhia aérea dos EUA
  • Blackberry Limited ($BB): empresa canadense de telecomunicações

Takeaway

O ETF MEME ainda engatinha no mercado. Estreou na Bolsa de Nova York no dia 8 de dezembro de 2021 – ou seja, tem pouco mais de um mês.

Por enquanto, está no vermelho: até 20 de janeiro, registrou perda de 30,6%. Atualmente, tem US$ 1,79 milhão sob gestão.

Analistas avaliam que ainda é cedo para dizer se o fenômeno das meme stocks, que explodiu em 2021, também continuará em 2022. Por isso, esse é considerado um investimento de alto risco – que exige muita cautela, pesquisa e sangue frio do investidor.

-

DISCLAIM: Importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.