ETFs de títulos públicos americanos

Conheça os maiores fundos que investem em Treasury Bonds, o “Tesouro Direto” dos EUA

Assim como bancos e empresas, os governos também emitem títulos ao mercado para captar dinheiro e investir ou custear a máquina pública. 

Quando um investidor compra esses títulos de dívida, é como se estivesse emprestando dinheiro ao governo – e recebendo uma bonificação por isso, que são os juros por determinado período.

Aqui no Brasil, temos o Tesouro Direto, o programa de títulos públicos de renda fixa do governo federal. 

Nos EUA, esses títulos são chamados de Treasury Bonds.

São considerados os títulos de renda fixa mais seguros do mundo, sem risco de calote.

Neste artigo, conheça os ETFs que investem nesses títulos públicos americanos - em inglês, chamados de US Government Bond ETFs.

Tipos de títulos públicos americanos

Os bonds emitidos pelo governo norte-americano se dividem em três tipos, de acordo com o seu vencimento.

  • Treasury Bills (T-Bills): vencimento em até um ano
  • Treasury Notes (T-Notes): vencimento entre dois e 10 anos
  • Treasury Bonds (T-Bonds): vencimento entre 10 e 30 anos

Há ainda o Treasury Inflation-Protected Security (TIPS), que é um título indexado à inflação. É análogo ao nosso Tesouro IPCA, e também tem o objetivo de proteger o patrimônio do investidor da alta de preços ao longo do tempo.

Onde investir quando a inflação está alta?

O que é marcação a mercado

Ativos de renda fixa são aplicações com rentabilidade atrelada à taxa básica de juros de cada país. Elas são mais conservadoras, porque, ao adquiri-las, o investidor já sabe o quanto irão render. É diferente da bolsa de valores, por exemplo, que pertence à renda variável.

Mas, a renda fixa, apesar do nome, não é exatamente fixa. Pode parecer confuso, mas vamos lá: essa “segurança” da renda fixa, de se saber exatamente quanto vai ganhar, só vale se o investidor resgatar a aplicação na data do vencimento. Nesse caso, ele receberá a remuneração acordada no momento da aplicação.

Agora, se o investidor decidir vender o título antes, a coisa muda. As taxas e preços dos títulos variam diariamente, por vários motivos. Essa oscilação é chamada de marcação a mercado.

Por isso, se o investidor resolver vender o título antes do vencimento, poderá ter um retorno maior ou menor do que o acordado no momento da aplicação.

E como o preço dos títulos muda de acordo com a taxa de juros?

  • Quando as taxas de juros caem, os preços dos títulos sobem.
  • Quando as taxas de juros sobem, os preços dos títulos caem.

Por quê?

Imagine que você comprou hoje um título público com uma determinada taxa de retorno, que tem como base a taxa de juros atual.

Algum tempo depois, a taxa básica de juros sobe, como o que está acontecendo agora – e vários outros títulos que pagam mais são lançados no mercado.

Nesse caso, a sua aplicação vai ficar menos atraente, ter menos demanda dos investidores e, consequentemente, valer menos.

Isso é a marcação a mercado, esse “reajuste” do valor do título – nesse caso, para baixo.

Mas o contrário também pode acontecer. Se a taxa de juros cair, os novos títulos é que vão pagar menos. Então, a aplicação que você tem nas mãos fica mais atraente e se valoriza.

Lembrando que tudo isso só vale se o investidor vender o título antes do vencimento – o que só é recomendado para investidores mais experientes, que possam usar a marcação a mercado a seu favor.

Cenário atual

Neste momento, diante do atual ciclo de alta de juros nos Estados Unidos, esses ETFs estão desvalorizados, com preços em queda.

Segundo o Finantial Times, um índice da Bloomberg com títulos públicos americanos de longo prazo recuou mais de 18% esse ano, rumo à maior queda desde 1973.

Por outro lado, este momento de baixa pode ser uma oportunidade para investidores mais experientes, que podem comprar na baixa e vender mais à frente, quando os títulos estiverem mais valorizados.

Veja agora aos maiores ETFs de títulos públicos americanos do mercado.

1 - ETF iShares TIPS Bond ($TIP)

Ativos sob gestão: US$ 31,25 bilhões 

Lançado em 2003, esse ETF segue um índice composto por títulos TIPS, ou seja, indexados à inflação, que tenham pelo menos um ano até o vencimento.

A taxa de administração é de 0,19% ao ano.

2 - ETF iShares National Muni Bond ($MUB)

Ativos sob gestão: US$ 26,5 bilhões 

O MUB possui títulos emitidos por governos e agências estaduais e locais. Ou seja, em vez dos Treasuries, que são federais, a aplicação é em títulos municipais e estaduais. Os juros estão isentos do imposto de renda dos EUA.

A taxa de administração é de 0,07% ao ano.

3 - ETF iShares 1-3 Year Treasury Bond ETF ($SHY)

Ativos sob gestão: US$ 23,9 bilhões 

O SHY investe em Treasury Bonds que tenham de um a três anos restantes até a data do vencimento.

A taxa de administração é 0,15% ao ano.

4 - ETF Vanguard Short-Term Inflation-Protected Securities ($VTIP)

Ativos sob gestão: US$ 20,6 bilhões 

O VTIP segue um índice de Títulos Protegidos pela Inflação do Tesouro dos EUA (TIPS) com menos de cinco anos restantes até o vencimento.

A taxa de administração é 0,04% ao ano.

5 - ETF iShares 20+ Year Treasury Bond ($TLT)

Ativos sob gestão: US$ 19,15 bilhões 

O TLT investe em Treasury Bonds de longo prazo, com mais de 20 anos restantes até o vencimento.

A taxa de administração é 0,15% ao ano.

-

DISCLAIMER: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.