Onde investir quando a inflação está alta

Entenda como as variações de mercado impactam a sua carteira e como lidar com elas.

Períodos de inflação alta sempre existiram e sempre vão existir. Mas em tempos assim, o investidor pode ficar na dúvida de onde investir o seu dinheiro. Por isso, é importante saber quais setores listados no S&P 500 são mais resistentes às turbulências da economia.

O que é a inflação?

A inflação é a alta generalizada nos preços de produtos e serviços.

Normalmente, esse fenômeno ocorre porque há uma demanda maior do que a oferta, ou seja, existem mais pessoas querendo comprar algum item do que o mercado tem à disposição para vender.

Além disso, com a alta dos preços a fabricação dos produtos também fica mais cara, já que as matérias-primas encarecem, o que também eleva o valor do produto final.

Outro problema da inflação é que ela diminui o poder de compra das pessoas, isso porque nem sempre os consumidores conseguem pagar um preço mais alto por determinado bem.  

Por isso, a inflação é muito danosa à economia. Sendo assim, é importante saber quais são os melhores setores para investir em tempos de alta dos preços, para que o seu dinheiro fique mais protegido.

Dessa forma, é preciso analisar quais setores da bolsa são mais resistentes a períodos de inflação alta. Por isso, é importante avaliar bem as empresas listadas no ara conseguir determinar quais setores e quais companhias têm mais chances de terem um resultado positivo durante esse período.

O que é S&P 500?

O principal índice do mercado de capitais americano é o S&P 500. Esse índice acompanha o desempenho das 500 maiores empresas listadas nas bolsas de valores dos Estados Unidos, Bolsa de Nova York (NYSE) e Nasdaq.

O objetivo desse marcador é retratar a situação da economia americana para os investidores, e isso é possível porque as empresas listadas no S&P 500 representam cerca de 80% do valor de todas as companhias listadas nas bolsas americanas.

Para que uma empresa entre para o S&P 500 ela precisa cumprir os seguintes requisitos, como:

  • Ter no mínimo 50% das suas ações sendo negociadas em uma das bolsas americanas;
  • Ter sede nos EUA;
  • Estar sendo negociada na bolsa de valores há pelo menos seis meses;
  • Possui valor de mercado a partir de 6,1 bilhão de dólares.

Quais empresas compõem o S&P 500?

As empresas que compõem o índice S&P 500 são oriundas de diferentes setores da economia, os principais são:

  • Consumo discricionário (produtos que não são de primeira necessidade);
  • Consumo cotidiano (bens de primeira necessidade);
  • Financeiro;
  • Industrial;
  • Energia;
  • Tecnologia.

Cada setor responde de uma forma a períodos inflacionários, sendo que alguns são mais afetados do que outros.

Empresas para investir quando a inflação está alta

As empresas pertencentes ao setor de consumo discricionário são as mais sensíveis à inflação, já que não produzem produtos essenciais, ou seja, que as pessoas precisam comprar, independente do preço.

Segundo Warren Buffett, CEO da Berkshire Hathaway ($BRK.A) e um dos maiores investidores do mundo, as melhores ações que alguém pode comprar quando a inflação está alta são papéis de empresas muito conhecidas e que tenham conexão com o público.

"Uma marca é algo maravilhoso de se possuir durante a inflação”, aconselha o guru do mercado financeiro global.

Entre as empresas listadas no S&P 500, estão algumas donas de marcas muito antigas, famosas e que resistiram bem a diferentes momentos da economia, como a Coca-Cola ($KO), por exemplo, que também é uma das queridinhas do Warren Buffett.

As companhias do setor de consumo cotidiano, que produzem itens como produtos alimentícios, remédios e produtos de higiene costumam performar bem em períodos de inflação alta. Isso porque elas conseguem repassar os custos para o consumidor final e produzem itens de consumo não cíclico.

As empresas dos setores de energia, saúde e tecnologia também devem entrar no radar de quem quer investir no mercado americano, já que são setores fortes e que têm apresentado uma demanda crescente nos últimos anos.

-

DISCLAIMER: Importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.