Terapia celular na bolsa de valores

Empresa de biotecnologia Longeveron valorizou. E deu dor de cabeça pra quem operava suas ações em short. Entenda o que aconteceu.

O que é a Longeveron?

A Longeveron ($LGVN) é uma empresa biofarmacêutica - que desenvolve fármacos a partir de insumos biológicos. No caso da Longeveron, são células humanas aplicadas para regenerar tecidos e órgãos. Como ela se define, é "uma empresa de biotecnologia em estágio clínico que desenvolve terapias celulares para doenças crônicas associadas ao envelhecimento e outras condições de risco de vida”.

Tem sede em Miami. Abriu o capital na Nasdaq em fevereiro de 2021.

O principal produto da Longeveron é o Lomecel-B™, medicamento desenvolvido a partir de células-tronco mesenquimais (MSCs), isoladas da medula óssea doada por adultos jovens.

Em novembro, o Lomecel-B foi aprovado pela FDA (Food and Drug Administration, agência reguladora que opera como a Anvisa no Brasil) para designação de uma doença cardíaca pediátrica rara. Ou seja, recebeu carta verde para avançar com as pesquisas. E isso movimentou não só os laboratórios da empresa, mas também a posição dela no mercado financeiro.

Longeveron, biofarmacêutica dos Estados Unidos, desenvolve medicamentos e tratamentos a partir de células-tronco. Foto: Divulgação

Valorização das ações da Longeveron e operação short

A aprovação da FDA para o Lomecel-B fez o mercado se empolgar com a Longeveron. E aumentou a busca por ações da empresa.

Nesse momento, uma luz vermelha acendeu para quem tinha na mão ativos da Longeveron em short.

Entendendo melhor

Para não perder dinheiro, quem operava em short com as ações da Longeveron precisou correr para fechar suas posições - em geral, estamos falando de gestores de fundos long-short, que administram os investimentos de pessoas que colocam dinheiro nos fundos. Esses gestores estavam apostando na baixa das ações da Longeveron (tidas até então como relativamente “anônimas" no mercado).

Mas, com o sucesso do Lomecel-B, os ativos valorizaram 145,64% (de US$ 17,22 para US$ 42,30) de terça-feira, 23/nov/2021, para quarta-feira, 24/nov/2021. E o que se viu foi um short squeeze da Longeveron.

Bom para a empresa e uma parcela dos investidores. Ruim para os gestores que operavam as ações em short e que, com o short squeeze, perderam liquidez no investimento - e, com isso, provavelmente, o bônus do ano, né?

O futuro da Longeveron

A empresa avança nos testes do Lomecel-B para tratamento do Alzheimer. E prevê concluir um estudo sobre envelhecimento no primeiro trimestre de 2022, que está gerando expectativa no setor.

Já em relação às ações, só acompanhando de perto as movimentações do mercado para saber…

-

DISCLAIMER: Importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.