ETFs de renda fixa: conheça um pouco mais sobre os 'bond ETFs'

Dependendo da sua estratégia, os ETFs de renda fixa podem ser uma boa opção para a sua carteira. Veja!

Neste artigo:
- O que são ETFs de renda fixa;
- Os principais ETFs de renda fixa;
- $TIP, $MUB, $SHY, $VTIP, $TLT.

A renda fixa pode ser considerada uma forma "segura" de investimento. No Brasil, uma das formas mais conhecidas desse modelo de investimento é o Tesouro Direto, que, basicamente, funciona como um título de dívida pública. 

Quando um investidor compra esses títulos de dívida, é como se estivesse emprestando dinheiro ao governo – e recebendo uma bonificação por isso, que são os juros por determinado período.

Os equivalentes americanos ao Tesouro Direito brasileiro são os chamados Treasury Bonds. E, como o investidor da comunidade Sproutfi sabe, existem ETFs dos mais diversos tipos listados na NYSE e na Nasdaq. Com a renda fixa americana, não seria diferente.

Conheça, neste artigo, os ETFs de renda fixa, chamados também de Bond ETFs.

O que é um ETF de renda fixa

ETF é a sigla para Exchange Traded Funds (fundo negociado em bolsa, em português). Trata-se, na prática, de um ativo que funciona como uma espécie de "pacote", que tem um objetivo específico: seja replicar um índice – como acontece com ETFs que seguem o S&P 500 ou o Nasdaq 100 –, seja acompanhar o desempenho de ativos, com bitcoin, ouro etc.

No caso dos ETFs de renda fixa, esses ativos possuem uma carteira de títulos. Como são negociados na bolsa de valores, a liquidez é alta. Por isso, vale a pena considerar esse formato a depender da estratégia.

Prós e contras dos ETFs de renda fixa

Como tudo em renda variável, há prós e contras em investir em ETFs de renda fixa. Avalie se vale a pena considerar esses ativos na sua carteira:

Pontos favoráveis

Os ETFs de renda fixa têm os seguintes pontos positivos:

- pagamentos de dividendos, normalmente, de forma mensal;

- gerenciamento fácil. Como o ETF funciona como uma "cesta" de ativos, o investidor não precisa se preocupar e ter o trabalho de gerenciamento; além disso, investir em ETFs de renda fixa costuma ser mais barato do que comprar os ativos diretamente;

-  não é preciso muito dinheiro. Como os ETFs são negociados como ações, é possível comprar uma fração do ETF. Ou seja: não é necessário dispor de uma grande quantidade de dinheiro para esse investimento;

Pontos contras

Os ETFs de renda fixa têm os seguintes pontos negativos:

- taxa de administração. Todo ETF têm uma taxa anual de administração, cobrada pelo fundo gestor. É o preço a se pagar, literalmente, pela comodidade;

- possibilidade de risco;

- possibilidade de baixo retorno.

Conheça os principais ETFs de renda fixa

ETF iShares TIPS Bond ($TIP)

Ativos sob gestão: US$ 31,25 bilhões 

Lançado em 2003, esse ETF segue um índice composto por títulos TIPS, ou seja, indexados à inflação, que tenham pelo menos um ano até o vencimento.

A taxa de administração é de 0,19% ao ano.

ETF iShares National Muni Bond ($MUB)

Ativos sob gestão: US$ 26,5 bilhões 

O MUB possui títulos emitidos por governos e agências estaduais e locais. Ou seja, em vez dos Treasuries, que são federais, a aplicação é em títulos municipais e estaduais. Os juros estão isentos do imposto de renda dos EUA.

A taxa de administração é de 0,07% ao ano.

ETF iShares 1-3 Year Treasury Bond ETF ($SHY)

Ativos sob gestão: US$ 23,9 bilhões 

O SHY investe em Treasury Bonds que tenham de um a três anos restantes até a data do vencimento.

A taxa de administração é 0,15% ao ano.

ETF Vanguard Short-Term Inflation-Protected Securities ($VTIP)

Ativos sob gestão: US$ 20,6 bilhões 

O VTIP segue um índice de Títulos Protegidos pela Inflação do Tesouro dos EUA (TIPS) com menos de cinco anos restantes até o vencimento.

A taxa de administração é 0,04% ao ano.

ETF iShares 20+ Year Treasury Bond ($TLT)

Ativos sob gestão: US$ 19,15 bilhões 

O TLT investe em Treasury Bonds de longo prazo, com mais de 20 anos restantes até o vencimento.

A taxa de administração é 0,15% ao ano.