Volatilidade das criptomoedas

Entenda o que impacta a renda variável e por que cripto é considerado um ativo volátil, variando de acordo com diversos fatores - inclusive, a guerra na Ucrânica, as decisões de Vladimir Putin e as respostas de organizações globais ao conflito.

É conhecido pelos investidores - ainda que superficialmente - que ativos de renda variável têm maiores níveis de oscilação de preço em relação a ativos de renda fixa.

De uma forma geral, ativos de renda variável têm em sua composição uma série de fatores que podem afetar de forma positiva ou negativa o seu preço, como por exemplo:

  • aspectos macroeconômicos (nível da taxa de juro, inflação, câmbio);
  • questões geopolíticas;
  • cenários políticos de cada país;
  • competitividade e sanções econômicas;
  • notícias sobre sobre o ativo em questão.

Esses e outros fatores resultam na precificação dos ativos pelo mercado, ou seja, o mercado - antevendo determinadas mudanças ou até mesmo criando apenas expectativas sobre elas - se movimenta com o objetivo de ajustar os preços ao eventual fato que poderá ocorrer num futuro próximo.

Nesse contexto, também se enquadra a volatilidade dos criptoativos.

A expectativa no mercado financeiro

Os investidores reagem a todas as formas de notícias que se antecipem a eventos relevantes. a fim de antever eventual modificação do preço de equilíbrio do mercado e realizar a tomada de decisões sobre comprar ou vender ativos. Dessa forma, historicamente, o preço dos ativos possui maior volatilidade em razão da necessidade constante de o investidor melhor antever os movimentos e precificar os riscos.

Por consequência, essa alternância do comportamento do mercado pode resultar em um efeito manada, em que os demais investidores reagem aos preços recentes dos ativos e a conjuntura econômica.

Volatilidade dos ativos de renda variável

A partir do que foi exposto acima, a volatilidade consiste em um mix de fatores, dentre eles:

  • previsibilidades/expectativas econômicas;
  • comportamento dos investidores; e
  • efeitos sobre os ativos de renda variável.

Os graus de volatilidade refletem a relevância da notícia ou do fato que pode afetar positiva ou negativamente os mercados. Por exemplo, imagine que um criptoativo comunique uma nova funcionalidade, cuja tecnologia possa conferir determinados benefícios ao investidor. O mercado reagiria a essa notícia, o que seria sentido pelos investidores e refletido em compra/venda dos criptoativos. Tudo depende, claro, da densidade do fato. Se for muito positivo, o mercado tenderia, em média, a ter alta volatilidade até encontrar um preço máximo - considerado o preço limite de compra dos investidores.

Contudo, imagine que essa nova funcionalidade anunciada encontrasse alguns problemas funcionai. Dessa forma, o mercado - ao antever a ausência de efeito prático da notícia - reage negativamente, o que, de novo, é sentido pelos investidores, resultando em baixa do preço do criptoativo, até encontrar um preço mínimo para compra.

Recentes movimentações do mercado de cripto

Em meados de novembro/2021 a dezembro/2021, tivemos o surgimento de notícias de uma nova variante do coronavírus, a ômicron, com maior taxa de infecção da doença, segundo cientistas e pesquisadores.

Essa variante foi responsável pela elevação do número de casos da doença em alguns países, especialmente o Brasil, em que os noticiários informavam a alta no número de pacientes e vítimas, causando temor nos mercados e investidores.

Além disso, recentemente, o mercado reagiu de maneira negativa aos eventos recentes da guerra entre Rússia e Ucrânia, em que há uma disputa sobre o território ucraniano por questões geopolíticas, causando fortes receios no mercado pela morte de ucranianos, e todos os reflexos na economia mundial - que já se encontrava fragilizada em razão da pandemia.

Por essas razões, os russos têm sofrido desvalorização forte da moeda e o risco de alta nos níveis inflacionários, o que ecoa pelo mundo junto aos comunicados do presidente Vladimir Putin quanto à manutenção do conflito até que atinja a sua meta ou um acordo.

Dessa forma, os investidores passaram a vender fortemente seus criptoativos, resultando numa queda do Bitcoin de seu pico recente em US$ 67.566,83, em 07.11.2021, para a mínima em US$ 35.030,25, em 21.01.2021.

Após essa data, o mundo ansiava por medidas econômicas de países e organizações mundiais em repressão à conduta do país russo. Isso resultou em sanções econômicas, como a exclusão dos bancos russos do swift, congelamento de bens, suspensão de compra de insumos/produtos, entre outros.

Às vesperas do comunicado das referidas sanções, o mercado de criptoativos reagiu positivamente, elevando o preço de sua mínima recente em US$ 35.030,25, para níveis atuais em US$ 44.575,00, em 03.03.2022. Isso porque, se essas sanções surtirem os efeitos esperados pelas políticas mundiais, é possível um desfecho do conflito entre Rússia e Ucrânia, o que refletiria nos preços dos criptoativos, retomando o interesse dos investidores na compra de cripto, em razão de um novo horizonte para esse ativo.

-

Disclaim: lembre-se de que as informações fornecidas aqui são para fins educacionais e não devem ser consideradas como aconselhamento jurídico, tributário ou de investimento. Consulte um advogado ou um profissional da área sobre a sua situação específica.