Vivo, Verizon, T-Mobile e AT&T: o que essas gigantes têm em comum e o que as diferencia

Se você investe em empresas do setor telecomunicações no Brasil, vale a pena conhecer as top 3 do mercado americano

  • Toda semana, trazemos pra você um conteúdo especial sobre empresas listadas nos EUA equivalentes a companhias brasileiras.
  • O objetivo é que você amplie os horizontes dos seus investimentos.
  • Neste artigo, conheça as gigantes americanas das telecomunicações - capitalização de mercado e algumas histórias boas (uma delas, inclusive, nasceu com Graham Bell, o inventor do telefone).

Vivo

Hoje é impossível pensar em um ambiente residencial ou comercial que não utilize o serviço de banda larga.

Mas a história de uma das mais reconhecidas empresas de telecomunicações do Brasil começou ainda na época da internet discada. 

A Vivo chegou ao Brasil em 1998, quando a espanhola Telefónica participou do processo de privatização e, anos depois, adquiriu as companhias paulistas de telecomunicação TELESP, CTBC e CETERP. 

Passou a se chamar Telefónica Brasil S.A. Em 2012, virou Vivo e ampliou a atuação para todo país, com telefonia fixa, móvel, banda larga e TV por assinatura. 

Mesmo tendo reportado queda no lucro no 1º trimestre deste ano, a empresa segue como uma das líderes do setor no país.

Se você investe na Vivo, ou está querendo investir no setor de telecom, conheça as 3 maiores empresas do setor listadas nos EUA:

Verizon ($VZ)

Fundada nos anos 2000, a americana Verizon tem origem na que foi considerada uma das maiores fusões de negócios dos EUA: entre Bell Atlantic e GTE Corps.

Hoje, também é parceira da Hyette Communicatiions - multinacional americana.

A Verizon presta serviços de internet, telefonia fixa, móvel e investe em entretenimento interativo e mídia digital.

A Verizon tem capitalização de mercado de US$ 213,93 bilhões.

Segundo analistas, a empresa perdeu assinantes pós-pagos no trimestre jan-mar/22. E reduziu a projeção de serviços e receita para 2022.

Em 2002, a Verizon viralizou nos EUA com a campanha “Test Man”.

Com o slogan “can you hear me now?” ("consegue me ouvir agora?") fazia referência (ou melhor, deboche) à qualidade do sinal telefônico das concorrentes.

A campanha alavancou não só o crescimento de mercado da Verizon, mas também a carreira do ator que protagonizou a campanha, Paul Marcarelli.

T-Mobile ($TMUS)

A T-Mobile é uma empresa alemã, fundada em 1990.

Inicialmente, se chamava Deutsche Bundespost. Depois, Deustche Bundespost Telekom.

Até que, em 1995, virou T-Mobile.

É a única nos EUA que, além de prestar o serviço de telefonia móvel, também desenvolve e fabrica aparelhos de celular. 

A AT&T (leia mais sobre ela abaixo) chegou a tentar comprar a T-Mobile, mas o negócio não foi adiante.

A T-Mobile tem valor de mercado de US$ 166,75 bilhões.

AT&T ($T)

A sigla significa American, Telephone and Telegraph.

A empresa foi fundada em 1875, por ninguém menos que Alexander Graham Bell, o inventor do telefone.

A AT&T nasceu quando Graham Bell conseguiu dois investidores: o sogro, Gardiner Hubbard, e Thomas Sandres, empresário rico, comerciante de couro.

Sandres era pai de um dos alunos de Graham Bell na escola que ele abriu em Boston, voltada para surdos - School of Vocal Physiology and Mechanics of Speech (Escola de Fisiologia Vocal e Mecânica da Fala).

Em apenas 3 anos, a AT&T já tinha centrais telefônicas instaladas nas principais cidades americanas.

No seu auge, a empresa cobriu 94% do território americano.

Ao longo do tempo, AT&T acabou dividida em diversas empresas menores, para estimular a concorrência. Elas ficaram conhecidas como “Baby Bells”.

Hoje, a AT&T fornece serviços de telefone fixo, móvel, banda larga, televisão digital, IPTV e OTT.

O valor de mercado da AT&T supera os US$ 149,48 bilhões.

Os dados de market cap foram coletados no dia 09/jun/2022, no Google Finance.