Startups aceleram com veículo elétrico 

Empresas pequenas de base tecnológica atraem investimentos pela inovação que trazem no desenvolvimento de veículos elétricos. E também pelo potencial já consolidado do produto, com demanda crescente. 

Se alguém ainda duvida que o boom dos carros elétricos é uma viagem sem volta ou acha que é só mais um novo “rolê” empolgado do mercado financeiro, precisa saber que virou tema de política pública.

Governos têm entrado em jogo para reforçar as energias dessa mudança.

O estado de Nova York anunciou esta semana que vai proibir a venda de carros a gasolina em 2035. E faltam só 13 anos para essa data. Logo ali. 

No Reino Unido, a Sociedade dos Fabricantes e Comerciantes de Automóveis disse que as montadoras atingiram números recordes nos últimos meses. E que é hora de estimular a demanda, o que será feito em parceria com o governo para encorajar as pessoas a trocarem seus veículos tradicionais pelos motores elétricos. 

Até o black cab londrino, o tradicional táxi preto da capital britânica, já tem sua versão “verde”:

imagem de veículo elétrico
Imagem: DrivingElectric/Reprodução

Um canal inglês no YouTube já está há um tempo nessa missão de estimular a adoção dos elétricos. Traz testes com diversos modelos, dá uma olhada.

E os consumidores por lá estão mesmo engajados. Olha só o crescimento na demanda por carros elétricos no Reino Unido em 2021, em relação a 2020:

  • Veículo elétrico híbrido plug-in (funciona com combustível e bateria carregada na tomada): +143,6%
  • Veículo elétrico a bateria: +106,7%
  • Veículo elétrico híbrido (funciona com combustível e bateria carregada pelo funcionamento do motor): +65,8%
  • Veículo a gasolina: -3%
  • Veículo a diesel: -34%
Fonte: Statista, ago/2021

Quando surgiu o carro elétrico? 

Não existe consenso sobre quem criou o primeiro veículo elétrico. Mas entre alguns dos nomes que recebem os louros, estão: 

- Ányos Jedlik, húngaro que desenvolveu um projeto de motor elétrico em 1828.

- Thomas Davenport, norte-americano que construiu um carro elétrico nos anos 1830. 

- William Morrison, norte-americano que surfou a onda do início da distribuição da energia elétrica, nos anos 1890, e criou um vagão de trem elétrico, que transportava seis pessoas e atingia 14km/h.

Corta de um século atrás para 2021: a Tesla ($TSLA), uma das empresas de carros elétricos mais conhecidas do mundo, tem modelos que chegam a 320 km/h, e promete para 2022 um carro com autonomia de 2 mil quilômetros, algo até pouco tempo atrás inimaginável. Poucos dias, na verdade. É uma evolução exponencial. 

Mas não é só uma via onde trafegam gigantes. 

Um pouco do cenário da indústria de carros elétricos hoje

Diversas startups correm ao lado das grandes montadoras no desenvolvimento de veículos elétricos. E estão se dando muito bem com a sede do mercado por ações no setor. Abriram capital (principalmente através de SPAC) e carregam bons resultados.

Uma delas é a Nikola ($NKLA), que produz caminhões pequenos 100% elétricos ou movidos a hidrogênio. 

Outra é a Rivian, alçada ao status de concorrente forte da Tesla. A startup desenvolve picapes e vans elétricas. A notícia recente é de que ela preencheu a documentação para fazer IPO em vez de fazer via SPAC. Amazon e Ford são algumas das grandes investidoras dessa startup.

Já a Fisker é um recomeço. Quebrou há alguns anos após tentativa de um carro elétrico híbrido plug-in, mas foi comprada por investidores chineses. Virou a Karma Automotive, que fabrica elétricos de luxo. 

carros elétricos
Os preços dos modelos da Karma Automotive variam de US$ 85 mil a mais de US$ 130 mil. Imagem: Karma Automotive/Divulgação 

-

DISCLAIMER: Importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.