O que acontece com as ações do Twitter após a compra de Elon Musk?

Entenda como ficam os acionistas do Twitter com a oferta de Musk sendo aprovada.

A notícia chacoalha o mundo - virtual e real. As redes sociais estão em ebulição. E o mercado tenta entender o que vai acontecer daqui pra frente. 

A compra do Twitter por Elon Musk realmente não é um acontecimento qualquer. Será a primeira big tech a passar para as mãos de uma pessoa só.

Paralelamente aos diversos questionamentos que estão surgindo (sobre controle da plataforma, liberdade de expressão, fake news e desinformação, por exemplo) e às mudanças que o próprio Elon Musk já sinalizou que gostaria de ver na plataforma (como o fim dos bots e o botão “editar" nos posts), os acionistas estão curiosos para saber o que vai acontecer com suas ações do Twitter. E a gente foi pesquisar pra resumir aqui pra você.

A compra de Elon Musk e as ações do Twitter

Depois que o Twitter aceitou a proposta de US$ 44 bilhões feita por Elon Musk na quinta-feira da semana passada, teve gente que decidiu comprar ações do Twitter pela primeira vez. Tem gente adquirindo mais ações da empresa pra carteira. E tem gente se desfazendo das suas posições. Vai da decisão de cada investidor. O que todos devem saber é que é um momento sensível de mercado.

A operação de compra ainda precisa ser aprovada por órgãos reguladores dos EUA. Segundo especialistas, não deve haver empecilhos, como alegação antitruste, por exemplo. A expectativa apontada por analistas e diferentes portais de notícia é de que o veredito leve alguns meses para sair.

Entretanto, para além disso, o valor de uma ação no futuro e o quanto se pode ganhar com a venda dela nunca é certo. Por isso, quem está comprando ações do Twitter hoje, por cerca de US$ 50, pode estar prevendo ganhar US$ 4 quando a compra for concretizada, já que Musk vai pagar US$ 54,20 por ação. Mas nada é garantido. Especialistas consideram que investir no Twitter agora pode configurar uma decisão de risco, porque, no fim das contas, não há como ter certeza de nada no momento atual.

Um pouco da história das ações do Twitter na bolsa

O Twitter abriu capital na bolsa de Nova York em 7 de novembro de 2013. No IPO, a empresa conseguiu US$ 26 por ação.

Mas naquele mesmo dia, mais tarde, no fechamento dos mercados, a ação da rede social já valia US$ 44,90.

Hoje, 26 de abril de 2022, a ação está em US$ 50,06 (cotação no momento em que escrevemos este artigo, às 16h08min).

O que vai acontecer com os acionistas do Twitter

Após a aprovação de compra pelos órgão reguladores, os acionistas terão que vender suas ações para Elon Musk - simples assim. A operação se dá através da tender offer.

O que é tender offer

O termo em inglês significa oferta pública (tender é aquela carne de porco do Natal, tradição que provavelmente importamos dos Estados Unidos, mas, neste texto, não tem esse significado).

A oferta pública é formalização da compra de uma empresa que está listada em bolsa (que tem capital público). O comprador - no caso do Twitter, Elon Musk - faz a tender offer, e os acionistas não têm escolha (como explicamos logo abaixo). Eles têm que vender as ações.

Musk já declarou que quer manter o máximo de acionistas possíveis dentro da lei que regulamenta a estrutura de empresas privadas no mercado. Isso quer dizer que o Twitter poderá manter até 2 mil acionistas. Mas precisam ser acionistas considerados “qualificados” - uma classificação que considera algumas variáveis, como, por exemplo, ter US$ 5 milhões em patrimônio.

Ou seja, tender offer será o próximo passo se a compra de Musk for efetivada e, com isso, o Twitter se tornar uma empresa privada.

A partir daí, qualquer pessoa que tenha ações do Twitter vai receber o dinheiro na sua conta na corretora pela qual adquiriu a ação, no valor ofertado por Musk: US$ 54,20 por ação.

Em uma explicação simples, é o Twitter comprando todas as ações de volta. Não existe, por exemplo, a possibilidade de um acionista ("shareholder", em inglês) “não querer" vender suas ações para a empresa. É uma operação "automática" - claro, só depois que a compra de Elon Musk for aprovada, o que ainda não tem prazo para acontecer.

Enquanto isso, a empresa bloqueou qualquer alteração na estrutura e nas funcionalidades da plataforma.

A compra do Twitter por Elon Musk é uma das maiores operações de compra alavancada - LBO na sigla em inglês para leveraged buyout

A LBO se refere à compra de uma empresa utilizando uma grande quantia de dinheiro vinda de outras fontes - como financiamento de terceiros, como está ocorrendo na compra do Twitter. Elon Musk vai pagar parte em dinheiro vivo e acionou empréstimos para completar os US$ 44 bilhões. 

Não há detalhes consolidados sobre o percentual de cada parte e quais instituições (ou seriam amigos bilionários?) estão emprestando dinheiro para Musk comprar o Twitter. O que se sabe é que as ações que a empresa vai tirar do mercado vão servir como garantia para o financiamento.

E você? O que está achando disso tudo? Como está a sua conta no Twitter e a sua conta de investimentos neste momento? Conte lá no app!

Ah, e olha só, uma curiosidade: começamos a escrever este artigo antes do fechamento do mercado, e citamos o preço da ação acima naquele horário. Publicamos o texto após o fechamento (17h30 pelo horário de Brasília sem horário de verão aqui e nos EUA). E aí a ação tinha caído. Fechou o dia em US$ 49,67.

-

DISCLAIMER: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.