Metaverso do Mickey

E do Darth Vader e de todos os astros da Disney. A gigante do entretenimento já confirmou presença no mundo virtual pra onde todos nós estamos migrando.

Entrar "de verdade" em Star Wars não é uma novidade. Experiências em realidade virtual vêm sendo desenvolvidas há alguns anos pela Disney ($DIS). Mas agora o negócio promete ficar mais sério. Ou melhor, mais imersivo e hiper-real.

O assunto do ano e o metaverso mais feliz

Mundos virtuais em 3D, com pessoas reais representadas por avatares e interagindo com outros, já existem. Isso é basicamente o que acontece nos games. Portanto, apesar de ser uma notícia que surpreende - e assusta - muita gente, o metaverso já existe. Ainda tem muito a evoluir, mas não é uma tecnologia nova.

Virou um dos assuntos do ano a partir dos movimentos do Facebook, que inclusive trocou de nome e virou Meta ($FB). Só que Mark Zuckerberg tem concorrência forte na “internet do futuro”. Diversas empresas estão na corrida pra desenvolver o mundo virtual mais perfeito.

A Disney já anunciou que o dela será o mais feliz.

Segundo o CEO da Walt Disney Company, Bob Chapek, a ficção científica dos roteiristas vai se tornar realidade - na realidade virtual (RV) do metaverso.

Para os fãs de Star Wars, a felicidade já bate à porta, ou aos óculos de RV, com Star Wars: Tales from the Galaxy’s Edge. Não é só um jogo. É uma experiência desenvolvida em várias fases, há cerca de 5 anos. Aliás, nesse projeto, a Disney, dona da franquia Star Wars, e a Meta deram as mãos: o óculos de RV usado é o Oculus (que vai mudar de nome pra Meta Quest), empresa comprada por Mark Zuckerberg em 2014 por US$ 2 bilhões. É também através desse óculos que, em breve, você vai acessar o “novo Facebook”.

Vader Imortal: uma série em três partes que combina jogo interativo e narrativa cinematográfica envolvente. Lançado em 2019 em parques da Disney e em 2020 para Play Station. Foto: Divulgação/Disney

Sobre o metaverso da Disney, ainda se sabe pouco. Inclusive dentro da própria empresa. A primeira vez que o CEO Bob Chapek falou oficialmente sobre o assunto foi agora em novembro, na apresentação dos resultados corporativos. E falou que o metaverso da Disney está numa fase inicial.

“Nossos esforços até agora são apenas um prólogo para um momento em que seremos capazes de conectar o mundo físico e digital ainda mais estreitamente, permitindo contar histórias sem limites em nosso próprio metaverso Disney. E esperamos criar oportunidades incomparáveis ​​para os consumidores experimentarem tudo o que a Disney tem a oferecer em nosso produtos e plataformas, onde quer que o consumidor esteja”, disse o CEO da Disney.

O metaverso Disney deve funcionar também como uma extensão do serviço de streaming Disney+.

Chapek ressaltou a bagagem da fábrica de sonhos centenária ao prometer um mundo virtual atraente: “a Walt Disney Company tem um longo histórico como uma das primeiras a adotar a tecnologia para aprimorar a experiência de entretenimento”.

E tem muitos investidores e analistas que concordam com ele. De acordo com a plataforma de análise de investimentos TipRanks, a Disney será um dos grandes nomes do metaverso.

Saiba como investir em ETF de metaverso.

-

DISCLAIMER: Importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.