As lições de Peter Lynch para o mundo dos investimentos

Conheça a história e as lições de Peter Lynch, um dos investidores mais bem sucedidos, para o mercado financeiro

Neste artigo:
- Quem é Peter Lynch;
- O que podemos aprender com Peter Lynch.

Se você gosta de estudar sobre investimentos, provavelmente já esbarrou no nome de Peter Lynch em algum momento. Este americano de 78 anos é um dos "gurus" do mundo da renda variável pelos resultados apresentados ao longo dos anos e pela filosofia de alocação de recursos.

Hoje, vamos falar um pouco mais sobre Peter Lynch e do seu legado no mundo das finanças. Confira:

Quem é Peter Lynch

Peter Lynch nasceu em 19 de janeiro de 1944 na cidade de Newton, Estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. Teve uma infância difícil após perder o pai, vítima de câncer, aos 10 anos. Pouco tempo depois, começou a trabalhar em um clube de golfe como carregador de tacos.

Nos anos 1960, já no colégio, começou a investir em ações. E se deu bem no mercado de renda variável: comprou papeis de uma empresa Flying Tiger Airline por US$ 8. Posteriormente, os ativos se valorizaram e chegaram a US$ 80 cada. 

Em 1966, iniciou o estágio na empresa em que trabalharia até 1990: a Fidelity Investments, com breve intervalo para que Lynch servisse o exército dos Estados Unidos por dois anos.

De volta em 1969, foi contratado em definitivo pela Fidelity e cresceu na empresa. Em 1974, Lynch se tornou diretor de pesquisas. Três anos depois, em 1977, Peter Lynch foi nomeado gestor do Magellan Fund, um fundo que, à época, tocava um portfolio avaliado em US$ 18 milhões. 

De 1977 a 1990, época em que o Lynch gerenciou o fundo, o Magellan obteve retorno médio anual de 29,2% – sempre superior ao S&P 500.

Em 1990, Peter Lynch decidiu se aposentar e apostar na filantropia. Já o Fidelity Magellan cresceu de US$ 18 milhões sob gestão para mais de US$ 14 bilhões no portfolio.

Para os investidores, ficaram as lições do "guru" em livros como "O jeito Peter Lynch de investir" e "Batendo o mercado".

As lições de Peter Lynch

Uma das frases mais conhecidas de Peter Lynch para o mercado financeiro é: "invista no que você conhece". Essa pode ser considerada a principal lição do gestor para o investidor de renda variável.

Mas existem outras lições importantes de Lynch, tiradas de entrevistas concedidas pelo gestor e em livros. Veja:

1 - Nem todas as ações terão bons resultados

É isso mesmo: nem todos os ativos de sua carteira terão uma performance boa. E está tudo bem para Lynch.  Se você tiver muitas ações, algumas serão medíocres, outras serão boas, e se uma das duas subir muito, você produzirá um bom resultado.

Para Peter Lynch, se você é bom, você estará certo em 60% do tempo. Você nunca vai estar certo em 90%, afinal, renda variável não é ciência. É preciso arriscar. E isso tem relação direta com o segundo ponto.

2 - Não se assuste facilmente

O mercado de ações é um mercado que envolve riscos. Por isso, não raramente, os investidores incautos entram e saem de três estados emocionais: Preocupação, Complacência, Capitulação. 

O primeiro aspecto é o da preocupação após o mercado ter caído ou a economia aparentemente vacilar. O que seria uma oportunidade de comprar boas empresas a preços atrativos vira um obstáculo por conta do medo e preocupação.

Então, quando o investidor compra a preços mais altos, a complacência se instala porque o preço das ações continua subindo – quando este é o momento em que se deve ser cauteloso e estudar os fundamentos das empresas.

Por fim, quando as ações caem para preços abaixo do preço de compra, o investidor capitula pelo desespero e vende os ativos rapidamente.

Existe outra frase famosa de Peter Lynch para esse passo: "No mercado de ações, o órgão mais importante é o estômago. Não o cérebro."

Ou seja: os investidores não costumam suportar grandes perdas e deixam de focar no longo prazo. As pessoas que têm sucesso no mercado de ações aceitam perdas periódicas. 

3 - O mercado não é um jogo

Para Peter Lynch, o mercado financeiro não é um jogo para trazer retornos rápidos e sem esforço. Basta fazer uma analogia com outras esferas da vida.

Para fazer uma viagem, existe planejamento. Para comprar um carro, idem. Mas, no entender de Lynch, a maior das pessoas vai investir em "algumas ações malucas que ouviram em um ônibus a caminho do trabalho". E eles fazem isso antes do pôr do sol sem saber o que a empresa faz. 

Não dá para brincar no mercado. Por isso, saber o que está fazendo e investir no que se conhece é fundamental para a filosofia de Peter Lynch.

Quer outra frase do guru? “Ações não são bilhetes de loteria. Por trás de cada papel há uma empresa. Se a empresa se sair bem, com o tempo suas ações vão bem e vice-versa.”

4 - Preto no branco? Não. Cinza

No entender de Peter Lynch, ganhar dinheiro no mercado de ações é combinação de ciência, arte e trabalho braçal. Ou seja: estudo. Mas é importante entender que nem tudo no mercado financeiro é "preto no branco". A zona cinzenta é muito comum.

O motivo? Os fundamentos e análises dos números das empresas ajudam a entender o porquê de os ativos terem resultados. Por outro lado, fazer previsões e estimativas sobre a empresa em questão envolve procurar respostas e, mais ainda, a falta de garantias de que isso se repetirá.

A zona cinzenta é bem comum no mercado financeiro.