ETF inflow e outflow: veja os ETFs com maior entrada e saída de recursos

Entenda os conceitos de inflow e outflow. E saiba o que eles revelam sobre o momento atual do mercado.

Sabemos que o mercado financeiro é muito dinâmico. Movimenta bilhões por dia com transações de compra e venda em frações de segundo.

Essas transações em bolsa movimentam não só ações, mas também cotas de fundos como ETFs.

ETFs são fundos que replicam índices de mercado e permitem uma diversificação da carteira de forma mais acessível.

Para investir em ETFs, basta comprar cotas na bolsa, da mesma forma que se compram ações.

Por isso, além da valorização das ações e cotas, o fluxo de compra e venda desses ativos também revela bastante sobre os movimentos de mercado.

Inflow e outflow

Os indicadores Inflow e Outflow mostram qual a direção do fluxo de capitais no mercado.

Ou seja: quais ativos os investidores mais estão comprando. E quais eles mais estão vendendo.

  • Inflow: entrada de recursos (compra)
  • Outflow: saída de recursos (venda)

Interpretar esses dados permite ver as “apostas” e tendências do mercado – quais são as aplicações consideradas mais ou menos promissoras em determinado momento, como uma espécie de termômetro.

Vamos ver agora os 3 maiores inflows e outflows entre os ETFs entre os dias 16 e 20 de maio de 2022, segundo dados da plataforma ETF.com.

O que isso significa?

  • Os 3 ETFs que tiveram a maior entrada de capital, ou seja, o maior valor em compras do período.
  • Os 3 ETFs que tiveram a maior saída de capital, ou seja, dos quais os investidores mais se desfizeram no período.

Saiba mais: o que são ETFs

ETFs com a maior entrada de recursos (Inflow)

1 - ETF iShares Core S&P 500 ($IVV)

Valor sob gestão: US$ 288,83 bilhões

Inflow 16-20/05/22: US$ 4,9 bilhões

ETF da gestora BlackRock que segue o índice S&P 500 – o principal do mercado acionário norte-americano.

A taxa de administração é de 0,03% ao ano.

2 - ETF iShares Core High Dividend ($HDV)

Valor sob gestão: US$ 12,84 bilhões

Inflow 16-20/05/22: US$ 1,87 bilhão

Acompanha um índice ponderado de 75 ações americanas de alto rendimento  pagadoras de dividendos, selecionadas pelo alto potencial de ganhos e pela constância do pagamento de proventos.  

A taxa de administração é de 0,08% ao ano. 

3 - ETF iShares Short Treasury Bond ($SHV)

Valor sob gestão: US$ 20 bilhões

Inflow 16-20/05/22: US$ 1,5 bilhão

Investe em títulos públicos de curto prazo, emitidos pelo Tesouro dos EUA. O vencimento restante deve ser de 1 a 12 meses.

A taxa de administração é de 0,15% ao ano.

ETFs com a maior saída de recursos (Outflow)

1 - ETF iShares Core S&P Small-Cap ($IJR)

Valor sob gestão: US$ 63,28 bilhões

Outflow 16-20/05/22: - US$ 1,38 bilhão

Investe principalmente em small caps, ou seja, empresas de menor porte negociadas em bolsa. Ele segue o índice S&P SmallCap 600, com 600 empesas small caps, que representam cerca de 3% do mercado.

A taxa de administração é de 0,08% ao ano.

2 - ETF Financial Select Sector SPDR ($XLF)

Valor sob gestão: US$ 33,71 bilhões

Outflow 16-20/05/22: - US$ 1,33 bilhão

Investe nas empresas financeiras que pertencem ao S&P 500, como bancos. Ele é ponderado pelo valor de mercado das ações. 

A taxa de administração é de 0,10%.

3 - ETF iShares GSCI Commodity Dynamic Roll Strategy ($COMT)

Valor sob gestão: US$ 2,86 bilhões

Outflow 16-20/05/22: - US$ 1,03 bilhão

Investe em 6 grandes grupos de commodities selecionados do índice S&P GSCI, grande referência de commodities do mercado. 

Em janeiro de cada ano, o índice seleciona 14 commodities dos grandes grupos com base nos níveis de produção global e nos preços. O fundo usa contratos futuros.

A taxa de administração é de 0,48%.

O que esse levantamento revela sobre o momento econômico?

Ao olhar o top 3 de inflows e outflows, podemos observar que os investidores estão num momento mais cauteloso, já que o mercado está num momento de baixa, um bear market.

A corrida para o $IVV mostra isso, já que segue o S&P 500 - o principal índice acionário americano, altamente diversificado, por contemplar as 500 maiores empresas dos EUA nos mais diferentes setores.

Ainda que, neste ano, esse índice esteja em baixa, no longo prazo, costuma apresentar bons e sólidos resultados.

O alto fluxo de recursos para o $HDV, de empresas boas pagadoras de dividendos, também mostra a busca do investidor por mais segurança, pois ainda que as ações estejam num momento de desvalorização, elas ainda podem pagar dividendos.

Já o alto inflow no ETF que compra títulos públicos de curtíssimo prazo aponta que os investidores acreditam que a taxa de juros vai subir ainda mais.

Os outflows também apontam que investidores querem fugir do risco, como de small caps, que são empresas menos consolidadas e menos resilientes em tempos de crise. 

Já as commodities, apesar de um boom inicial por causa da guerra na Ucrânia, são muito voláteis.

Quanto ao setor financeiro, a alta nas taxas de juros gera preocupações sobre alta nos endividamentos.

-

Disclaimer: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.