Conheça REITs de data centers

Segmento está entre os REITs que mais cresceram na pandemia. Conheça as vantagens e os riscos desse mercado

Se "os dados são o novo petróleo”, também são necessárias plataformas robustas e gigantescas pra extrair, armazenar e “beneficiar” essa matéria-prima, certo? (Os trocadilhos, inclusive, cabem bem nessa comparação). Por isso, o mercado de data centers cresce e atrai investidores.

Neste artigo, você vai conhecer as empresas desse setor que se destacam em nível global e que têm ações listadas em bolsa. Ou seja, são uma possibilidade de investimento em REITs de data centers.

O que é data center?

Em linhas gerais, um data center é um local onde estão instalados e armazenados computadores, roteadores, servidores e outros equipamentos que fazem coleta, armazenamento e processamento de dados.

As empresas utilizam data centers para guardar informações e rodar operações. Por isso, são locais amplos e que precisam de uma estrutura impecável para que as máquinas não parem. O lugar precisa ter, por exemplo, refrigeração constante. E segurança de ponta.

REITs de data centers

Os REITs são empresas que investem em imóveis - seja através da compra e administração de espaços físicos, seja pela aquisição de títulos atrelados ao mercado imobiliário. E tem REIT de todo tipo – inclusive REIT de data center.

REITs de data center investem em espaços de armazenamento de dados, ajudando a manter os servidores, fornecendo energia ininterrupta, resfriadores e também a segurança física do local. Várias empresas, como IBM, Ubisoft e AT&T, utilizam data centers administrados por REITs.

Na pandemia, com o boom do e-commerce e uma série de outros serviços digitais, os REITs de data center tiveram um amplo crescimento.

Segundo a Associação Nareit (National Association of Real Estate Investment Trusts), de janeiro a novembro de 2021, esse segmento cresceu 43,8%, atrás apenas dos REITs de galpões de autoarmazenamento e os REITs industriais.

Uma das vantagens é que esses REITs permitem que o investidor se beneficie de alguma forma do crescimento exponencial do uso de dados.

Segundo pesquisa da IDC, o uso de dados deve crescer a uma taxa anual de 24% até 2025 – o que deve exigir infraestrutura adicional para transmitir e armazenar dados, incluindo mais data centers.

Outro benefício desse segmento é que ele é mais resiliente em tempos de crise – o que ficou claro na pandemia. A maioria dos inquilinos desses espaços (que são as empresas de tecnologia) assina contratos de longo prazo, permitindo que os REITs de data center gerem receita recorrente.

Mas, também há desvantagens, o que merece a atenção do investidor. Data centers são espaços custosos, com muita infraestrutura. Expandi-los exige muito dinheiro – o que fica ainda mais caro em momentos de alta de juros, como o que estamos vivendo.

Fora isso, como já falamos, em momentos de juros mais altos, a renda fixa fica mais atraente, devido ao seu baixíssimo risco. Isso geralmente pesa sobre os preços das ações dos REITs, que precisam aumentar seus rendimentos de dividendos e compensar os investidores por seu risco mais alto.

Também há risco de excesso de oferta, pois os operadores de data centers geralmente constroem novas estruturas com base em especulação. Assim, o excedente pode afetar os níveis de ocupação e as taxas de aluguel. 

Por fim, há também riscos ambientais. Os data centers usam uma quantidade significativa de energia e água para manter servidores e equipamentos de rede refrigerados. Nesse sentido, pensando mais no longo prazo, as mudanças climáticas podem afetar o funcionamento.

Atualmente, há apenas dois REITs de data centers públicos, ou seja, com ações disponíveis no mercado.

Os 2 REITs de data center listados em bolsa nos EUA

Equinix ($EQIX)

É um dos maiores REITs do mercado e um dos líderes globais de infraestrutura digital, com mais de 240 data centers em 63 países. Entre os clientes do EQIX, estão gigantes da tecnologia, como Netflix, Google, Amazon e Zoom.

Tem US$ 59,5 bilhões em valor de mercado. No ano, as ações acumulam perda de 24%.

Digital Realty ($DLR)

Tem 290 data centers pelo mundo. Também tem clientes de peso, como Amazon, Verizon, LinkedIn, Adobe, Linkedin e Google.

O valor de mercado do DLR é de US$ 36 bilhões. No ano as ações acumulam queda de 27%.

-

DISCLAIMER: importante lembrar que em qualquer investimento denominado em moeda estrangeira, as mudanças nas taxas de câmbio podem ter um efeito adverso no valor, no preço ou na receita de dividendos desse investimento. Mesmo que a diversificação possa ajudar a diluir o risco, ela não garante lucros ou proteção contra perdas. Há sempre a possibilidade de perder dinheiro quando você investe em qualquer produto financeiro. Por isso, considere cuidadosamente seus objetivos e riscos antes de optar por qualquer investimento.